Pesquisa personalizada

quinta-feira, 5 de março de 2009

UM ABORTO E DOIS ABSURDOS

Não costumo falar em violência,mal leio.Mas,o caso da menina de 9 anos estuprada pelo padrasto em Alagoinha(PE) me enojou por duas vezes.

A primeira eu acho que nem preciso dizer,quando um monstro pratica tal crime e seja lá com quem for e de tal maneira ainda,nem se fala,né?

A menina estava grávida na 15° semana de gestação gemelar e a novíssima Lei do aborto,tão contestada é clara.Não se constitui crime quando em caso de estupro ou quando a vítima ou a mulher em questão corre riscos de vida e só pode se praticado por um médico,claro!

Pois bem,a igreja católica,como sempre,sob a batuta de suas encíclicas,veda seus olhos e toma providências absurdas como a do Arcebispo de Olinda e Recife(Dom josé Cardoso sobrinho) que acionou advogados de sua arquidiocese e encaminhar denúncia ao Ministério Público.Eles demoram tomar providências quando o caso é de um padre pedófilo e não são poucos,nós sabemos.
A menina,segundo os médicos,se enquadrava nas duas questões.Corria risco de vida por não ter seus órgãos reprodutores desenvolvidos.

O Clero deveria "abrir seus olhos" por que esse tipo de comportamento só fortalece a "iniciativa privada da fé",como Macedos e Hernandes.

Aí vai uma parte do código penal:

Exclusão de IlicitudeArt. 128. Não constitui crime o aborto praticado por médico se:I - não há outro meio de salvar a vida ou preservar a saúde da gestante; II - a gravidez resulta de violação da liberdade sexual, ou do emprego não consentido de técnica de reprodução assistida;III - há fundada probabilidade, atestada por dois outros médicos, de o nascituro apresentar graves e irreversíveis anomalias físicas ou mentais.
Parágrafo 1o. Nos casos dos incisos II e III e da segunda parte do inciso I, o aborto deve ser precedido de consentimento da gestante, ou quando menor, incapaz ou impossibilitada de consentir, de seu representante legal, do cônjuge ou de seu companheiro;Parágrafo 2o. No caso do inciso III, o aborto depende, também, da não oposição justificada do cônjuge ou companheiro

2 comentários:

antonio belmont disse...

Por que a igreja catolica nao se pronuncia com tal veemencia nos casos de pedofilia como neste caso de aborto ?Talvez faltem padres para rezar as missas dominicais!!!

JUNIOR disse...

Sim, você tem razão,Antônio. A Igreja católica deveria olhar mais para seu próprio umbigo,hehe!

Entre em contato com o blog


Nome:

E-Mail:

Assunto:

Mensagem:


Desde 01/01/2009

Arquivo do blog